Avançar para o conteúdo principal

Achas que se pode morrer por amor?

Achas que se pode morrer por amor? Achas que quando passamos 3/4 da nossa vida com alguém, vivemos um pouco através da outra pessoa e ficamos unidos para sempre? Eu achava que não. Sempre achei um bocado tolo os exageros dados ao amor, ao romance, à dependência. Mas eu estava enganada. A D. Esperança e Sr. Patrício eram os vizinhos da minha avó e estavam casados há quase 60 anos. A minha avó contava-me a história deles e recordo-me perfeitamente daquele amor intemporal, sem cobranças. Eram amantes, companheiros, amigos. A D. Esperança era uma senhora muito meiguinha e lembro-me dela já velhinha (acho que nunca a conheci de outra forma). O Sr Patrício era mais fechado mas muito simpático e tinha aquela "cara de avô" super fofinho. Gostava mesmo de vê-los juntos. Dava gosto ver pessoas com os seus 80 anos a passear de mãos-dadas, a serem ternurentos e a projectar o seu amor em todas as direcções. Mas um dia a D. Esperança adoeceu. Tinha uma série de problemas e, entre esses muitos, diagnosticaram-lhe Alzheimer. Deixou de reconhecer a maioria em seu redor mas nunca esqueceu o marido. Era ele que lhe cantava canções, contava histórias, a acalmava. Oh, o Sr Patrício era um cavalheiro de outros tempos. Sentia-me mesmo uma felizarda por assistir a uma história tão bonita. Até ao dia em que a D. Esperança faleceu. O marido vestiu-a, penteou-a, beijou-a. Leu uma carta que lhe tinha escrito em tempo de namoro, há quase 60 anos atrás. Chorou, sofreu, definhou. O Sr Patrício acabou por falecer um mês depois.




Quero acreditar que ele morreu de tristeza. Quero acreditar que ainda há amores assim. Quero acreditar mas não consigo. Acho que tive a sorte de assistir a uma rara excepção. E tive a sorte de conhecer estes dois seres-humanos espectaculares. Porque acredito que temos muito a aprender com os mais velhos. Mesmo muito. É por isso que devoro as palavras dos meus avós, por muito pouco sábias que na altura me pareçam. Eles também estão casado há 57 anos e vivem um para o outro. Mas não é o mesmo. Aquela história é única.
Eu queria um Sr Patrício na minha vida. 

Comentários

  1. A minha avó faleceu quando eu era ainda muito pequena, ela e o meu avô foram casados durante anos e o Primeiro amor um do outro. Conta-se que o meu avô, juntamente com a minha mãe trataram de tudo. O cemitério era em frente a casa dos meus avós, foi lá que a minha avó foi enterrada e nós mudámo-nos para casa deles, para tomar conta do meu avô. A minha mãe sempre me contou que ele passava horas á varanda a olhar para o cemitério e que mandou colocar uma cruz alta, para a ver de casa... Parece que quando a minha avó morreu, o meu avô comprou logo um lugar para ele também ao lado dela... O meu avô faleceu 6 meses depois, ninguém soube muito bem de quê. Eu cá acho que foi de saudades, ou quem sabe, de amor... Um dia aparecerá um Sr.Patricio para ti, e um Avô Manel para mim :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os meus avós paternos também estiveram juntos mais de meio século mas a minha avó adoeceu tão cedo que acho que a doença se sobrepôs ao amor... deu lugar ao companheirismo, respeito e outras formas de querer alguém (que para mim são mais do que válidas!).

      Se eu encontrar um Homem que seja para mim metade do que o meu pai foi para a minha avó, sinto-me bem satisfeita!*

      Eliminar
  2. Por um lado não acredito. Mas por outro quero acreditar e acho que sim, que se pode mesmo morrer de amor.
    Oh, que porra, acredito sim!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Temos que ir acreditando nestes pequenos milagres ;)

      Eu também acredito que sim, desde que não seja de forma obsessiva e doentia!

      Obrigada pela visita ;)

      Eliminar
  3. É normal que sim. O desgosto, a perda do entusiasmo, o sofrimento... não matam mas derrotam.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E depois tudo junto, é uma mistura explosiva! Ora aqui está uma opinião mais "terra-a-terra" ;)

      Eliminar

Enviar um comentário

Todos temos os nossos dias, as nossas opiniões, as nossas afinidades. Felizmente nem todos gostamos do mesmo.

Aceitam-se elogios. Aceitam-se críticas construtivas.

Dispenso insultos e estupidez gratuita.

Welcome stranger ;)

Mensagens populares deste blogue

A tua irmã*

Ontem estive a escrever a fita de finalista da tua irmã. Com muito orgulho e satisfação. E tu estás presente, de uma forma discreta, que só ela entenderá. Mas estás lá. Sei que deves estar orgulhoso e que vais estar presente. Toma conta dela, protege-a, fá-la feliz. Se há alguém que merece, é ela. Perdeu-te a ti e logo de seguida o vosso Pai. Em menos de 6 meses, perdeu metade da família. Não é justo e ela merece mais. Tudo. Quero tanto vê-la feliz.



Parabéns Srª Engenheira!
*ORGULHO*


PS: Estou aqui para Ela. Estou mesmo, Luís. Por muito que me custe estar com ela nos lugares em que estivemos todos juntos, um dia (muitos dias). Por muito que ao olhar para ela, te veja a ti. Que magoe. Porque a saudade dói*

Dos rumores

Sábado. Vou jantar fora com o meu irmão, cunhada e mais uns casais amigos. O S., um dos meus amigos recentemente solteiro também foi. O jantar decorreu das 20:30h às 23h. Às 23:30h recebo uma mensagem do João a perguntar se ando metida com esse amigo nosso. Fico completamente à nora com a conversa. Recebo sms do meu ex-namorado a perguntar o mesmo. Pergunto ao S. se ele já tinha ouvido algum rumor. Diz que sim mas que por ele é tranquilo. E começa cheio de insinuações e conversas parvas. Só meu dou com atrasados e estou tão farta disto!
O João liga-me e chama-me de dançarina. Não compreendo a conversa e eis que me diz "ontem andaste a dançar com o teu novo namorado. Já fiquei para trás?".
ANORMAL!

Parabéns meu puto!

Mais um ano puto. 23 aninhos de uma vida que devia ter continuado. Cada vez mais me custa recordar a tua voz. Engraçado que sempre que fazes anos, o facebook enche-se de fotos e de conversas a recordar-te. E sabes o que me entristece? Saber que um dia vais voltar a fazer anos mas não há nenhuma história nova para contar.
Tenho tantas saudades tuas Luís! Do teu riso, do teu sorriso metálico, dos teus disparates. Onde quer que estejas, que a tua alma não se perca. Tu continuas a trazer o melhor de cada um de nós e isso é inesquecível e impagável.
PARABÉNS PUTO!!