quinta-feira, 12 de abril de 2012

Não é lá que te encontro...

Sonhei novamente contigo. É incrível que tenha conseguido atingir todos os meus objectivos, que me sinta realizada com a minha vida mas que no entanto o que mais queria é completamente impossível. Às vezes penso que tinha sido mais fácil se nunca te tivesse conhecido. Depois vejo o quão estúpida estou a ser. Foste das melhores pessoas que conheci. És. E dás-me força para continuar. Muita mesmo. Claro que sinto falta e é claro que dói saber que não mais te vou ver. Mas a tua perda fez-me ver uma série de coisas. Fez-me valorizar tantos aspectos da minha vida que deixei esmorecer. E a falta que me fazes. Aquela gargalhada que só tu me arrancavas e que nunca mais foi igual. Nunca mais. Sei que te devo umas quantas visitas, Lá. Mas continuo a achar que não é Lá que te encontras. É Aí! Então sinto-me estranha e incomodada em ir visitar uma pedra com a tua foto. E nem é a tua melhor foto, diga-se de passagem. Estás de cara "fechada" e não se vê o teu sorriso. Digo para mim mesma que é ali que te encontras. Mas não é ali que te encontro. No meio de tantas flores que, passado quase 3 anos, continuam a ser colocadas lá (acho que a tua Mãe nunca deixará de lá ir). Desculpa mas as flores que te dou e as velas que te acendo, não é lá que as coloco. Durante 1 ano inteiro, todos os meses, coloquei a tua velinha a flutuar naquela fonte. Foi a forma que tive de te mostrar que não me esqueço. Depois foram as flores. Olha Luís, acho que as flores e velas são bonitas mas não me parecem coisa tua. Desculpa lá mas são demasiado banais. E tu não o eras. E olha que também não rezo por ti. Prefiro falar contigo. Assim, as raras vezes que vou à Igreja, geralmente na missa do teu aniversário e no aniversário da tua morte, falo contigo e pronto. Tu nem gostavas de ir à missa ao Domingo (era sempre dia de jogo e era passado no pavilhão). Pronto, é isto. Esta noite sonhei contigo. Não sei o que aconteceu, não me recordo. Mas acordei e a tua cara foi a primeira coisa de que me recordei. E fiquei triste e sem chão. Mas depois sorri e pronto, lá consegui o teu ânimo para mais um dia de trabalho.




7 comentários:

  1. Escusado será dizer que te percebo... Também não vou Lá, não é Lá que a encontro, dentro de uma gaveta, atrás de uma foto, bonita sim e talvez a mais bonita daquela altura... Tem um sorriso sereno e o seu ar habitual de "Tudo vai correr bem", mas não é Lá que eu a encontro, e para ser sincera já não vou Lá há muito tempo. Encontro-a nos meus pensamentos e no meu coração e também não rezo, falo com ela. Acendo velas sim, mas quando e onde me apetece e não vou à igreja, já nem no aniversário da sua morte... Prefiro passá-lo quieta no meu canto, sozinha ou com os meus irmãos e atirar uma Gerbera ao mar... Não é Lá que eu a encontro, percebo muito bem que não seja Lá que o encontras a ele...* Sempre aqui se precisares :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sabes aquele livro "A Lua de Joana"? Em que a Joana escrevia um diário para a amiga que tinha morrido? Gostei do livro quando li mas achei um pouco parvo escrever para alguém que nunca poderia ler... mas agora dou por mim a fazê-lo! Desde que aconteceu o que aconteceu, comecei a escrever para ele. Primeiro em papel e mais recentemente aqui. É a minha forma de mantê-lo vivo!

      Tenho uma certa aversão em Lá ir. Perdi muita gente em pouco tempo e era nova demais quando isso aconteceu. Depois acabei por me habituar e comecei a "esquecer" um bocado a morte. Mas há quase 3 anos levei o maior "estaladão" de sempre!

      OBRIGADA :)

      Eliminar
    2. Eu percebo perfeitamente, mas não tem que atormentar não ir Lá... Eles não estão Lá, estão connosco, sempre...
      Sei qual é o livro, é um dos meus preferidos, li-o muito nova e também me fazia confusão, mas depois percebi, ajuda, ajuda muito escrever como se falássemos com eles... Também sempre escrevi para Ela, em papel, agora de vez em quando escrevo sobre ela no blog... Ajuda, eu percebo.

      Não tens que agradecer. Mesmo!*

      Eliminar
  2. De todos os posts que vejo em vários blogs estes são sem duvidas o que mais me identifico até porque tal como tu perdi muita gente em pouco tempo,pessoas mais ou menos importantes até que houve aquela perda que irá marcar sempre a minha vida,só quem passa por essas coisas é que percebe o que se sente.
    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, só quem passar por isso é que dá valor. É uma grande verdade! Estes posts vêm mais em jeito de desabafo e de recordação! Sabe bem, apesar de custar ;)

      Eliminar

Todos temos os nossos dias, as nossas opiniões, as nossas afinidades. Felizmente nem todos gostamos do mesmo.

Aceitam-se elogios. Aceitam-se críticas construtivas.

Dispenso insultos e estupidez gratuita.

Welcome stranger ;)