quarta-feira, 18 de abril de 2012

Resposta ao comentário do(a) Anónimo(a)...

Hoje fizeram-me um comentário (entretanto apagado porque de início não o aceitei muito bem) a questionar-me sobre os posts que tenho feito sobre ti. Estou sempre a dizer que podias ter pedido ajuda. Que devias ter desabafado e pedido conselhos. Bem, houve uma pessoa que me perguntou:

"Mas alguma vez lhe perguntaste se ele tinha algum problema?"

É verdade, nunca perguntei. Na altura não sabia que a tristeza podia vir mascarada de sorrisos. Era uma ignorante que não entendia que por vezes a pessoa mais viva e alegre é aquela que tem os piores fantasmas a pairar sobre si. Aprendi isso tarde demais, aprendi contigo. Mas não me sinto culpada por nunca o ter perguntado. Tu eras assim. Agias sem pensar, pensavas sem agir. Nunca foste nada de muito certo. Nunca foste garantido. E foste sempre bom a camuflar o que sentias. Sim, conhecendo-te como conhecia, podia (devia) ter insistido contra esse muro que edificaste ao teu redor. Não consegui e agora já não vou a tempo. Mas, ainda assim, não me culpo. Nem te culpo a ti. Nem culpo quem te deixou em tempos afundar nessa tua alma solitária. Mas sabes que um dia vais ter de te explicar. Não abdico disso, sabes bem. Merecemos uma explicação e nisso ninguém te vai perdoar. E pronto, hoje é tudo o que sobra da tua vida. Mentira, sobram tantas outras coisas que guardarei na minha essência.
Fazes-me falta e nunca te disse em vida*


Portanto, caro(a) Anónimo(a), aqui fica a resposta à tua pergunta. Nunca lhe perguntei se ele tinha algum problema porque, até à data, nunca precisei de o fazer. Esta é a única resposta que consigo dar.

5 comentários:

  1. eu nâo tenho comentado os post ao teu L* porque os acho muito íntimos e tenho medo de invadir.
    Mas eu acho que ele sabia que podia ter contado ctg e que tu fizeste o melhor que sabias e podias... não te recrimines.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não invades nadinha, acredita! É a minha forma de me habituar à ideia e de ir reavivando a memória ;)

      E tal como digo no post, não me sinto culpada de coisa alguma. Foi um reparo que um anónimo me fez e achei por bem dar-lhe resposta!

      Obrigada :)

      Eliminar
  2. É mesmo! E que grande alerta... Também gostei imenso de o ler... Nunca pensei, aliás, que gostasse tanto (:

    ResponderEliminar
  3. Gente que não tem mais do que fazer... Bla bla bla =)*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu sei mas tenho de me sujeitar a isso a partir do momento em que partilho algumas coisas... e não gosto de deixar as pessoas sem respostas, mesmo quando se escondem atrás do anonimato =P

      Mas sim, Bla bla bla, Whiskas saquetas =P

      Eliminar

Todos temos os nossos dias, as nossas opiniões, as nossas afinidades. Felizmente nem todos gostamos do mesmo.

Aceitam-se elogios. Aceitam-se críticas construtivas.

Dispenso insultos e estupidez gratuita.

Welcome stranger ;)