quarta-feira, 16 de maio de 2012

O Homem do Talvez

É tudo tão mais simples quando somos crianças. Quando recebia papelinhos a dizer "Gostas de mim?/Queres namorar comigo?" e bastava assinalar um dos quadradinhos, SIM ou NÃO. Era tal e qual assim. Ou queres ou não queres. Objectivo e conciso. Uns anos mais tarde começou a surgir a terceira opção, o TALVEZ. Mal sabia  eu que hoje em dia, já adulta, seria esse o meu destino.




4 comentários:

  1. Olá Rita!
    É verdade sim senhor, eu também recebia esses papelinhos, que máximo que era! Tão inocentes e tão práticas as crianças!
    Beijão!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mesmo a sério, honestidade e inocência! Simbiose mais que perfeita ;)

      Beijinho*

      Eliminar
  2. Crescemos e aprendemos a analisar tudo. Pensamos demasiado e chegamos ao ponto de já nem saber o que queremos ou sentimos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso é uma grande verdade. As crianças têm uma simplicidade que nenhum adulto voltará a ter!

      Eliminar

Todos temos os nossos dias, as nossas opiniões, as nossas afinidades. Felizmente nem todos gostamos do mesmo.

Aceitam-se elogios. Aceitam-se críticas construtivas.

Dispenso insultos e estupidez gratuita.

Welcome stranger ;)