Avançar para o conteúdo principal

Onde foi que nos perdemos?

Lembro-me desta cumplicidade de outrora. Recordo o nosso primeiro afastamento e temo que reconheça todo este turbilhão que agora sinto.
Detesto sentir tudo isto, esta paixão que não me cabe no peito, estes arrepios que me percorrem o corpo quando me tocas, este quase-desmaiar de quando nos beijamos. Não detesto nada, adoro. Detesto é ser privada de tudo isso. Detesto ter uma intuição que, regra geral, não falha. 
Onde andamos? O que foi feito de nós? Sabia que tínhamos um fim, não sabia que estaria tão próximo.
Quero agarrar tudo o que temos e manter todos os nossos momentos vivos e bem juntos mas esta colagem não está a resultar. 
Oh João, o que nos aconteceu? Onde foi que nos perdemos? Onde anda tudo o que sentíamos?
Onde estão os nossos carinhos? Onde está a nossa cumplicidade? Onde está a nossa amizade?
Como pode um relacionamento (?) avançar a passos largos para o fim, quando demorou tanto a ter um início?
Eu sei o que aí vem. Acima de tudo, eu sei! Aceitei este nosso amor que nunca o foi, acolhi-o, alimentei-o, dei-lhe liberdade. Fugiste-me. Morreste-me. 
Amei-te. Libertei-te.
Nós. Eu. Tu. Fomos. Não somos mais.


Comentários

  1. Respostas
    1. Sim mas o fim estava há muito anunciado.

      Eliminar
  2. Fico com imensa pena...

    (não te tinha dito ainda, mas gosto muito da forma como escreves, tens uma espécie de marca pessoal...)

    Beijinhos ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Talvez ainda venha a "dar o dito pelo não dito", sei lá.

      Não sei nada e isso chateia-me!

      Eliminar
  3. Respostas
    1. Oh Raven, ele fugiu-me e quero acreditar que isto é um fim... não consigo viver nesta história mal resolvida, nem quero!

      Eliminar
  4. Este chove não molha não te leva a lado nenhum,e viver coisas mal resolvidas não nos levam a lado nenhum,seja lá como esta historia acabar vais ficar bem,ou pelo menos vais fazer muito por isso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu mal não estou ;)

      É um assunto que à partida está terminado mas que tem de ser falado... falar, resolver, encerrar!

      Eliminar

Enviar um comentário

Todos temos os nossos dias, as nossas opiniões, as nossas afinidades. Felizmente nem todos gostamos do mesmo.

Aceitam-se elogios. Aceitam-se críticas construtivas.

Dispenso insultos e estupidez gratuita.

Welcome stranger ;)

Mensagens populares deste blogue

A tua irmã*

Ontem estive a escrever a fita de finalista da tua irmã. Com muito orgulho e satisfação. E tu estás presente, de uma forma discreta, que só ela entenderá. Mas estás lá. Sei que deves estar orgulhoso e que vais estar presente. Toma conta dela, protege-a, fá-la feliz. Se há alguém que merece, é ela. Perdeu-te a ti e logo de seguida o vosso Pai. Em menos de 6 meses, perdeu metade da família. Não é justo e ela merece mais. Tudo. Quero tanto vê-la feliz.



Parabéns Srª Engenheira!
*ORGULHO*


PS: Estou aqui para Ela. Estou mesmo, Luís. Por muito que me custe estar com ela nos lugares em que estivemos todos juntos, um dia (muitos dias). Por muito que ao olhar para ela, te veja a ti. Que magoe. Porque a saudade dói*

Dos rumores

Sábado. Vou jantar fora com o meu irmão, cunhada e mais uns casais amigos. O S., um dos meus amigos recentemente solteiro também foi. O jantar decorreu das 20:30h às 23h. Às 23:30h recebo uma mensagem do João a perguntar se ando metida com esse amigo nosso. Fico completamente à nora com a conversa. Recebo sms do meu ex-namorado a perguntar o mesmo. Pergunto ao S. se ele já tinha ouvido algum rumor. Diz que sim mas que por ele é tranquilo. E começa cheio de insinuações e conversas parvas. Só meu dou com atrasados e estou tão farta disto!
O João liga-me e chama-me de dançarina. Não compreendo a conversa e eis que me diz "ontem andaste a dançar com o teu novo namorado. Já fiquei para trás?".
ANORMAL!

Parabéns meu puto!

Mais um ano puto. 23 aninhos de uma vida que devia ter continuado. Cada vez mais me custa recordar a tua voz. Engraçado que sempre que fazes anos, o facebook enche-se de fotos e de conversas a recordar-te. E sabes o que me entristece? Saber que um dia vais voltar a fazer anos mas não há nenhuma história nova para contar.
Tenho tantas saudades tuas Luís! Do teu riso, do teu sorriso metálico, dos teus disparates. Onde quer que estejas, que a tua alma não se perca. Tu continuas a trazer o melhor de cada um de nós e isso é inesquecível e impagável.
PARABÉNS PUTO!!