segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Apenas a verdade!

Pergunto-me até que ponto uma pessoa deve ser sincera. Até que ponto devemos dizer o que realmente pensamos e sentimos. Sinceridade ou hipocrisia? Sim, já sabemos que o ideal seria um meio-termo mas, caso este não seja possível, até que ponto devemos ser sinceros?

Por vezes peco por ser demasiado sincera. Não é que diga tudo o que penso ou que não pense antes de falar. Por vezes penso até demais! 
Sei que me recuso a ser hipócrita ou mentirosa. Se alguém me perguntar alguma coisa que me diga respeito, prefiro dizer a verdade a fingir outra situação. Mas até que ponto é isso bom?
Sim, sou uma pessoa assertiva. Da minha parte não esperem mais do que verdade. 
Portanto, o que vou escrevendo aqui sobre mim é a verdade. Não há floreados, palavras meigas ou cinismo.
Quando estou feliz, a minha escrita vem feliz. Fluída, afável, fácil de ler.
Quando estou triste, a minha escrita não vem triste mas sim aos turbilhões. 
Quando estou chateada, escrevo palavrões e digo impropérios.
Quando estagno, faltam-me as palavras, o sono, a coerência e a vontade.

[agendado]


1 comentário:

  1. Parece que acabaste de me descrever. Sou assim, tal e qual ;)

    ResponderEliminar

Todos temos os nossos dias, as nossas opiniões, as nossas afinidades. Felizmente nem todos gostamos do mesmo.

Aceitam-se elogios. Aceitam-se críticas construtivas.

Dispenso insultos e estupidez gratuita.

Welcome stranger ;)