segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Esta 6ª.

Encontrei o João esta sexta-feira. A nossa conversa foi mais-ou-menos assim:

João: "Olá Rita, então estás bem? [dá-me um beijo na cara]"
Rita: "Sim, comigo tudo óptimo. E tu?"
João: "Eu também estou bem. Vou ser transferido para Setúbal..."
Rita: "Que bom, ficas mais perto. Fico feliz por ti..."
João: "Sim, fico mais perto de casa e mais perto de Lisboa..."
Rita: "Pois, tu é que tens de ver o que é melhor para ti..."
João: "Não gostei da nossa última conversa."
Rita: "Eu também não..."
João: "Não achas que devíamos falar sobre o que se passou?"
Rita: "Não acho que seja preciso. Eu fui bruta, tu foste mal-educado... acho que é bastante claro que juntos não funcionamos."
João: "Mas longe temos saudades..."
Rita: "Temos? Eu estou bem."

E afastei-me. 
Porque gostar nem sempre é suficiente, optei por afastar-me.
Porque não posso ter receio da reacção dele quando quero ser franca. 
Porque se fosse com ele como sou com  os outros, já tinha deixado a minha frontalidade falar e já tinha dito o que ele merece ouvir há uns meses atrás.
Ele é um estúpido e eu sou bem pior.

1 comentário:

  1. oh tadita dela a sofrer. tou cheia de pena. buááá

    ResponderEliminar

Todos temos os nossos dias, as nossas opiniões, as nossas afinidades. Felizmente nem todos gostamos do mesmo.

Aceitam-se elogios. Aceitam-se críticas construtivas.

Dispenso insultos e estupidez gratuita.

Welcome stranger ;)