segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Tenho a cabeça vazia

Sinto-me a falhar. Quero tanto esquecer-te mas no entanto não te deixo partir. Preciso que não queiras ficar porque sinto-me estúpida com este amor que sinto por ti. Detesto sentir-me insegura e detesto que a minha personalidade se esvaia quando estou contigo. Que merda é esta que me fazes sentir quando estamos longe? Como posso ser tão feliz e completa nos teus braços e sentir-me despedaçada quando a distância dita as regras?
João, nunca te consegui explicar o porquê de tudo isto que sinto por ti. Sinto-me bem contigo. O teu sorriso tranquiliza-me, o teu abraço dá-me arrepios. A tua voz deixa-me sem fôlego.
João, quando estás longe dói. Quando não te tenho comigo, sinto uma distância muito mais do que física. Sinto-me sem chão. Não quero sentir isto. Não quero este amor. Não quero esta necessidade. Não quero nada disto se tu também não quiseres.
Dizer que te amo aqui, num blog anónimo e que não lês, é tão mais fácil. É tão certo.
Não tenho dúvidas de que te amo. Mas não sei se te consigo amar assim.

Tenho a cabeça vazia.
Como te posso explicar o que sinto sem que fujas?
Não quero que fujas, quero que queiras ficar.



Sem comentários:

Enviar um comentário

Todos temos os nossos dias, as nossas opiniões, as nossas afinidades. Felizmente nem todos gostamos do mesmo.

Aceitam-se elogios. Aceitam-se críticas construtivas.

Dispenso insultos e estupidez gratuita.

Welcome stranger ;)