terça-feira, 6 de outubro de 2015

Desabafo

Nunca consegui falar de ti aqui. Da tua partida e de não ter conseguido despedir-me. Nunca falei das nossas tardes em tua casa, a jogar Mega Drive. A pintar. A ler histórias e a ver filmes.

A Carla morreu quando eu tinha 12 anos. Era a minha melhor amiga.
Nunca conseguiu andar e também não gostava muito de sair de casa. Por isso eu fazia-lhe companhia.
Ria com ela, desabafava, ficava horas a vê-la dormir e à espera que conseguisse contornar o sono que a medicação lhe dava.
A Carla era linda. Tinha uns olhos cor de amêndoa. Rasgados. Era morena. Um sorriso enorme, com os dentes bem alinhados.
Era também muito doente. Não me lembro dela sem ser doente.
Mas era tão minha amiga e eu gostava tanto dela.
O dia em que morreu foi horrível. Sei que não me recordo de quase nada, fiquei em choque.
Não consegui despedir-me dela. Entrei na Igreja e saí. 
Sonhei e temi a morte durante anos por causa dela. Visitava-me em sonhos.
Odeio a morte. Odeio que me privem das pessoas que gosto.
Carla, fazes-me falta. Tu, o teu Pantufa e a tua Lady. Os teus cortinados rosa e o teu talento para os trabalhos-manuais. Ainda guardo a cassete de música que me gravaste.

Há anos que não falo de ti.
Porquê? Porque me dói.


2 comentários:

  1. Dói pela amizade!
    ela está algures a tomar conta de ti! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, dói e se há perda de que nunca mais falei com ninguém foi esta. Que me dói ainda hoje!

      Eliminar

Todos temos os nossos dias, as nossas opiniões, as nossas afinidades. Felizmente nem todos gostamos do mesmo.

Aceitam-se elogios. Aceitam-se críticas construtivas.

Dispenso insultos e estupidez gratuita.

Welcome stranger ;)