segunda-feira, 22 de agosto de 2016

O meu Avô tem alzheimer#8

O Avô já está em casa há quase dois meses. Voltar para a sua rotina, para as coisas que lhe são familiares tem-lhe feito muito bem, apesar de tantas mudanças. Cama articulada, cadeira de rodas, cadeira de banho, uma cuidadora. São muitas mudanças, quer para ele, quer para nós. Mas por incrível que pareça tem tido dias muito bons, animados, com vontade de conversar e sair. 

Ontem teve o primeiro dia "Não". Não estava nele, não reconheceu ninguém. Dei por ele com medo, ansioso. Sentei-me no chão, ao lado da cadeira de rodas, olhei-o nos olhos, chamei pelo nome dele (nestes dias não lhe posso chamar de Avô). "O que se passa?" - perguntei. Novamente aquele olhar perdido e desesperado. "Estás assustado?" (Acenou com a cabeça). "Estás na tua casa. Aqui nasceram os teus filhos, viveste aqui a vida toda.". Captei-lhe a atenção. Dei-lhe uma festinha na cara e disse-lhe que ia ficar tudo bem. Perguntei se queria ir dormir um bocadinho, que ia sentir-se melhor quando acordasse. Voltou a acenar com a cabeça. Disse-me esta única frase "Tenho medo, não me deixes sozinho!".

Estes dias doem como tudo! E assustam!
Nunca te deixarei sozinho!!


Sem comentários:

Enviar um comentário

Todos temos os nossos dias, as nossas opiniões, as nossas afinidades. Felizmente nem todos gostamos do mesmo.

Aceitam-se elogios. Aceitam-se críticas construtivas.

Dispenso insultos e estupidez gratuita.

Welcome stranger ;)