quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Segredos que nunca deviam deixar de o ser!



E as pessoas continuam a deixar-me boquiaberta com o que dizem e sentem!
Eu tenho pena dos animais, óbvio que tenho! Custa-me ver animais ao abandono, a sofrer, a passar fome, a serem maltratados! Mas porra, se há situações que me deixam "sem chão" são pessoas que não têm onde dormir, o que comer, o que vestir! Claro que há situações e situações, há quem se sujeite a esse tipo de vida porque não quer trabalhar ou ter responsabilidades na vida mas porra, dizer que a situação dos animais comove mais do que a de pessoas?!

Ora cá vai um exemplo do que falo...
Perto da minha casa cá de Lisboa há uma rua que é utilizada por muitos sem-abrigo para passarem a noite, com cartões e nos halls de entrada das lojas. 
Eu e a MJ costumávamos ir levar refeições a alguns dos que lá estavam, refeições essas que sobravam das que tínhamos preparado para nós (por vezes fazíamos um pouco mais de arroz ou massa para chegar para mais alguns) e íamos levar para que essas pessoas tivessem pelo menos uma refeição quente de vez em quando.
Certo dia fui beber café com a MJ e passámos por um senhor, novo naquela zona, e perguntámos se já tinha jantado. Disse que não, já não comia há dois dias. Uma das refeições que trazíamos ficou com ele. Conversa puxa conversa e ele acabou por contar que em tempos havia tido uma casa e uma família mas que perdera tudo isso. A empresa onde trabalhava faliu e ele ficou desempregado, não tendo conseguido manter o nível de vida a que tinha habituado a mulher e o filho. A mulher abandonou-o, levou o filho com ele e ele acabou por ficar cheio de dívidas (das contas que deixou de conseguir pagar) e acabou por perder a casa. Viu-se na situação de andar a pedir esmolas. Este senhor tinha 54 anos quando o conheci e já estava na rua há coisa de 8 anos. Não mais conseguiu reerguer-se porque é raro o empregador que aceita um sem-abrigo para trabalhar! 
O senhor António continuou naquela rua de Lisboa durante mais 2 anos e eu e a MJ continuámos durante esse tempo a visitá-lo frequentemente, tendo inclusive tentado arranjar-lhe um trabalho. Foi sol de pouca dura porque o senhor António não tomava banho (não tinha como), apesar de ir trocando de roupa.
Há 2 anos que não sei nada dele. Saiu da dita rua e quero acreditar que tenha conseguido mudar de vida (tenho as minhas muitas dúvidas, infelizmente!)

Esta história não é para estar a gabar-me de ter ajudado alguém em tempos mas sim para dar um exemplo de que a vida por vezes é madrasta para quem não merece.Que há pessoas que também são traídas, sem possibilidade de se defenderem, que são deixadas ao abandono.

O senhor António é um senhor simpático, educado, estudou, sabia manter uma conversa interessante, era afável e nunca mostrou sinais de ingratidão!


4 comentários:

  1. Foi um dos segredos que mais abismada me deixou... E o da outra que achava feio ter ficado feliz por a mulher do ex ter perdido um bebe... Esta gente deve é comer merd* às colheres... :S

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Geralmente não gosto de criticar as pessoas sem saber o que está por detrás das suas atitudes/conversas mas neste caso é quase desumano uma pessoa ter um sentimento deste género!

      Fiquei chocada, confesso! E esse segredo que referes deixou-me irritada!

      Eliminar
  2. A efemeridade da vida é assustadora! Estava bem, com familia e de repente está na rua a passar fome... caramba! E essa esposa, dondoca, que o abandona num momento destes?? Há gente a casar por motivos errados.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há pessoas que vêem o casamento como um negócio, acho que este é um dos casos! É aterrador perceber que há inúmeros Antónios por este mundo!

      Eliminar

Todos temos os nossos dias, as nossas opiniões, as nossas afinidades. Felizmente nem todos gostamos do mesmo.

Aceitam-se elogios. Aceitam-se críticas construtivas.

Dispenso insultos e estupidez gratuita.

Welcome stranger ;)