sexta-feira, 7 de outubro de 2016

Das pessoas tóxicas

Ando numa fase da minha vida que não tenho paciência para nada! Não tenho paciência para fingir que sou simpática, que estou a gostar de determinada conversa ou companhia, que não me incomodam as atitudes pedantes e sem escrúpulos. Não tenho pachorra, nem idade, nem estômago para isso!

Por isso aqui andamos assim: afastar os "amigos" tóxicos (e acreditem que existem alguns), ser assertiva com quem não tenho obrigação de ser cordial e ignorar gente parva.

Ao ler isto parece que tenho um feitio de merda. Olhem, é isso mesmo... 

Por vezes prometo que próxima não me vou exaltar com tanta facilidade, que não vou logo alterar o meu tom e sacar do meu sarcasmo mortífero. Prometo que não vou ser irónica e que os meus olhos não vão rolar para a parte traseira do meu crânio. Prometo que tento ser simpática.
Mas não. Não consigo! 
Acima de tudo tenho de ser leal aos meus valores.
A verdade é que não tenho paciência para ser espezinhada a toda hora, utilizada por ditos amigos que só quando precisam sabem onde vir bater. Não tenho pachorra para conversas maldizentes nas costas e depois na cara assistir a sorrisos (falsos) e palmadinhas nas costa. Não tenho porque fingir e aceitar pessoas que não acrescentam nada de bom na minha vida.

A semana passada cortei de vez com uma pessoa tóxica na minha vida. Uma grande amiga, por quem faria tudo mas que me fez demasiadas coisas, prejudicou-me de demasiadas formas e mentiu em muitas ocasiões. Ficava doente só de saber que ia estar com ela e que viria um novo drama, uma nova birra, novas cobranças. Já chega! Acabou aqui!


1 comentário:

Todos temos os nossos dias, as nossas opiniões, as nossas afinidades. Felizmente nem todos gostamos do mesmo.

Aceitam-se elogios. Aceitam-se críticas construtivas.

Dispenso insultos e estupidez gratuita.

Welcome stranger ;)